terça-feira, 21 de julho de 2015

Sentimentos Inesperados. - Capítulo 38.


Três horas da madrugada Vivian foi até a cozinha buscar o bolo de amêndoas para elas. Voltou passando um prato para Samanta.
Samanta provou comentando:
- Hummmm! Que delícia de bolo! Você é boa nisto!
- Gostou? Então valeu a pena o tempo que passei na cozinha.
- Valeu demais! Está divino! Já estou até gostando mais de amêndoas.
- É bom que goste mesmo. São afrodisíacas.
- Ah são? Hum! Bom saber! Mas você não precisa comer coisas afrodisíacas. É tão nova.
Samanta comentou admirada.
- Não preciso mesmo, mas gosto da sensação de que ficarei mais bem disposta para te satisfazer.
- Este detalhe me agradou demais. Hahahaha. Na verdade adorei!
- Sei que adorou. Fez uma carinha de safada!
- Não posso negar que a ideia é excelente!
Elas comeram famintas por algum tempo. Depois Vivian recolheu os pratos voltando para a cama. Samanta a abraçou contando.
- Patrícia devolveu os meus bens.
- Foi?
- Sim. Meu advogado ligou hoje para que eu assine os documentos. Fiquei feliz pela honestidade dela.
- Você tinha dúvidas que ela o faria?
- Confesso que depois que passei a ter olhos apenas para você desliguei-me de tudo. Eu sei, sei que deveria ter pensado, mas não o fiz. Por isto fiquei surpresa. Na verdade nunca imaginei que ela me enganaria. Tipo: Ficar com os meus bens. Entende?
- Sim. Claro que entendo. Eu lhe disse que ela é uma excelente amiga sua.
- Agora tenho mais certeza disto. Ah! Lembrei que ela mandou te convidar para o baile da igreja. São uns bailes mensais que organizam para arrecadar dinheiro para a caridade. Você quer ir?
- Seria muito bom ir a um baile com você. Já nem ouvimos mais falar nestes bailes. Acho que vou adorar sair com você.
- Eu também vou adorar sair com você. Qualquer coisa que eu fizer estando com você sei que vou amar. Vou ficar de olho para que nenhuma mulher se meta com você. Não quero ninguém te cantando. Agora você é minha e não vou me descuidar. Confesso que só penso em empurrar as horas para estarmos logo juntas.
- Você é muito ciumenta e isto não te faz bem. Digo para você mesma. Eu percebi isto e vou te ajudar a relaxar. Vou te provar que pode ter confiança em mim.
- Admito que sou muito ciumenta...
- O que você pensa você atrai. Eu amo você. É isto que deve te importar.
- Bom, parece que os relacionamentos não dão muito certo. Tanto amor e de repente acaba. Do nada acaba.
- Será? Será que todos os relacionamentos não dão mesmo certo? Sabe? Eu nunca tive um relacionamento, mas sempre observei como as minhas colegas se relacionavam com os namorados delas. Mentiam, enganavam, não tinham a mínima cumplicidade, algumas até traiam. Como que relações assim podem dar certo? Em contra partida conheço pessoas que estão juntas há anos. São sinceras nas suas relações. O que destrói tudo é a mentira porque quando as pessoas mentem vivem uma farsa. Quem mente acaba mentindo mais para si próprio do que para o outro. Está bem, talvez eu não possa falar por nunca ter vivido uma história, mas agora estou começando uma história com você. Não existe a menor possibilidade de que eu venha a mentir quando condeno tanto isto. E te trair muito menos Samanta. Porque eu te amo muito e não tenho olhos para mais ninguém.
- Patrícia também dizia que me amava.
Samanta comentou incomodada.
- Está vendo? Você disse: Patrícia dizia! Eu sou Patrícia? Você acha que foi apenas ela que disse que amava alguém neste mundo e deixou de amar? A todo o instante pessoas estão falando de amor umas para as outras. Falar de amor é muito fácil. Sentir amor? Ah! Sentir amor é outro extremo. O peito oprimido, sufocado, o coração louco, a saudade constante, a dor e felicidade, a luta das emoções, estes sentimentos intensos que não posso explicar em palavras, que só consigo externar quando estou beijando teus lábios. Quanto toco tua mão, quando te olho nos olhos e colo meu corpo no seu. Quando estou gemendo enquanto você me dá prazer. Quando te dou prazer. Até quando estava na cozinha preparando um jantar para nós, hahahaha, que nem tocamos, pois corremos para a cama. Isto são as coisas deliciosas do amor. O encontro íntimo, mas também os outros momentos. Aqueles em que dançamos, que sorrimos, que fazemos planos, passeamos e realizamos coisas juntas. Porque duas pessoas precisam se completar. Nenhum amor sobrevive preso entre quatro paredes. Pessoas não suportam prisões. Eu não suportaria viver em uma redoma e nem você. O amor não prende. O amor liberta Samanta. Amor quando é vivido não dói, ele trás felicidade. Duas pessoas que estão felizes juntas atraem grande atenção porque a felicidade incomoda e amor, bem, o amor é o que todos buscam na vida. Por isto o amor dos outros é sempre motivo de inveja e cobiça. Eu não vou a este baile para mostrar que estou com você. Vou porque amo estar com você. Eu sou sua, apenas sua! Não porque você quer que eu seja sua, sou porque eu quero ser. Pelo tanto que te amo não teria como não desejar ser apenas sua.
- Ai Vivian! Não entendo a razão, mas acredito nas suas palavras e eu, eu sinto que você me ama realmente. Isto me deixa tão feliz, mas tão feliz. Acho que pela primeira vez posso relaxar em um relacionamento.
- Desejo e espero que sim. Porque quero te fazer muito feliz. Muito mesmo. Como quero que me faça feliz sem ciúmes infundados. Sinta ciúmes sim se eu te der motivos para senti-los. Mas não darei meu amor. Agora quero seus beijos. Porque não quero passar nosso tempo falando, só falando. Quero passá-lo também te amando.
Os lábios de Vivian caíram-nos de Samanta enquanto unia o corpo ao dela. As mãos de ambas voltaram a fazer carícias pelos seus corpos. Vivian deitou suavemente em cima de Samanta roçando a bucetinha na dela.
- Quero você tanto. Quero entregar-me a você a cada instante. Quero e preciso ser sua. Sentir suas mãos ardendo em minha carne. Quero dar muito para você meu amor.
Notas da aurora: Vivian é completamente apaixonada. Adoro-a seduzindo a Samanta. Ela tem essa coisa de conversar na hora certa e depois amar. Essa sensibilidade de perceber que Samanta é ciumenta por natureza. Talvez por nunca ter vivido um amor inteiro e intenso como são os verdadeiros amores. Nem ela o viveu, mas sua certeza de que Samanta é o seu grande amor é adorável. Não é possível começar uma história cheia de medos. Os medos, eles precisam ser acomodados. Cada história é uma história. Cada amor é um amor. Um bolero não é um tango. Um samba não é uma ópera. Tudo tem sua deliciosa diferença e ainda assim consegue ser lindo. O amor é lindo na sua essência. O que se vive se aguarda, mas antes de tudo é vital que seja apreciado. Essa história, Sentimentos Inesperados poderia ser apenas a história de outro adeus, de outros adeuses, mas não, é a história da realização do amor. Do amor romântico que une as mulheres nessa trilha de emoções. De sensações que as tornam frágeis, mas plenas. Quando dois corpos trêmulos de desejo tendo os corações palpitando se unem, quando seus lábios se fundem, quando as mãos traçam caminhos com voltas pelos corpos, quando ardem sentindo o prazer de instantes próximo, quando isto ocorre suas almas unem-se. Encontram-se e se abraçam. Só quando não estão unidas por um sentimento muito forte é que o prazer não as prende. Não as faz seguir unidas por uma vida feliz. É isto que Vivian está vivendo. Está realizando seu grande amor. O sonho de todas as mulheres. De todos os seres humanos. Os inteiros de corações e os de corações despedaçados. Tudo na vida é um encontro e os encontros necessitam serem completos. Se com amor, muito melhor. Pois o amor é o maior alimento do espírito. Só os que amam e são amados se despem das amarguras acumuladas da vida. Os outros, os que não amam e se riem do amor, que dó deles!
Os lábios de Vivian desceram acariciando a pele de Samanta. Traçavam rastros de fogo arrancando gemidos de seus lábios trêmulos.
- Oh... Oooo... Vivian...
- Amo você Samanta. Necessito dos teus gemidos e do teu corpo. Necessito possuir você minha amada.
Os lábios estavam beijando e chupando os seios. Lambiam os biquinhos sugando-os deliciados. Voltaram a descer alardeando o fogo quente daquele prazer que Samanta sentia entregue aos gemidos prazerosos.
Vivian entrou entre as pernas aninhando-se próxima a bucetinha. Passou a língua nela fechando os olhos por um instante para sentir com maior intensidade a maravilha daquela buceta ardente, encharcada e trêmula. Era a melhor coisa do mundo. Seu coração estava disparado. Controlava a respiração enquanto a chupava sem pudores. Não sentia mais pudores. Os perdeu nas primeiras horas de entrega entre elas. Queria-a tanto. Ansiava tanto pelo prazer dela. Pelo instante em que voltaria a senti-a jorrando em sua boca. O seu corpo tremia levemente. Sentia um formigamento vindo da ponta dos dedos do pé até a altura dos cabelos. Sentia assim com aquela intensidade ainda de olhos fechados. Estava inebriada pelo cheiro da bucetinha, com a sua inundação e com a forma em que o clitóris latejava contra a sua língua. Ela tinha a sensação que poderia ter um orgasmo mental tamanha a forma como estava excitada e dominada por aquele prazer. Mentalmente estava experimentando de fato um orgasmo inebriante. Exatamente no instante em que o corpo de Samanta estremeceu contra sua língua. Ela jorrou o gozo intenso dentro da sua boca.
- Ohooooooooooooooooooooooooooooooo...
Gozo que Vivian bebeu extasiada. Sentindo o corpo queimando inteiro. Abriu os olhos passando a chupá-la com mais vontade. Com desejo redobrado, pois aquele orgasmo mental serviu para enlouquecê-la mais. Sentia-se como uma olheira das ondas do mar. Pois era assim que percebia sua língua nadando em todo aquele gozo abundante. Exatamente como as ondas do mar costumavam ser. Altas, outra hora, baixas. Lambendo assim voltou a fazer Samanta vibrar de vontade. A bucetinha de Vivian estava abrindo e fechando. Latejava intensamente. Enquanto sua língua descia e subia desvairada dentro da bucetinha de Samanta que já agora rebolava com as pernas mais abertas e livres para ser devorada. Para ser sugada com aquela fome que Vivian já não escondia. Ela até jurava que Samanta estava no mesmo transe em que se encontrava. Estavam ligadas. Seus corpos encontravam-se eletrizados como se elas estivessem presas à mesma tomada. Como se estivessem levando um choque. Uma descarga elétrica intensa. A qual, Vivian não aguentou e precisou descer a mão tocando-se. Acariciou o próprio clitóris enquanto Samanta lhe vinha novamente escorrendo dentro de sua boca aquele gozo quente, afrodisíaco, viciante.
- Aiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii...
Vivian deslizou a língua na bucetinha afastando-se lentamente. Foi deitando sobre o corpo dela. Achegando toda sensual e provocante. Roçou seus corpos mergulhando a língua dentro da boca de Samanta. Beijando-a com aquele gosto fabuloso de gozo. De prazer. Com a fome que a dominava, pois já chupava a língua sentindo o corpo ardendo, queimando, parecendo que não se saciaria tamanha a necessidade que a consumia. Com aquela vontade louca de senti-la dentro de sua bucetinha que estava ardendo, abrindo e fechando como se não tivesse tido aquele orgasmo.  
Não disse nada. Interrompeu o beijo virando o corpo. Desceu a boca até a bucetinha de Samanta oferecendo a sua a ela. Sentiu a língua dela deslizando em sua buceta como se sentisse um aperto no coração. Continuou chupando-a. Enfiou o dedo dentro dela passando a entrar e sair. Enfiou o dedo no cuzinho sentindo um prazer intenso. Entrava e saia a cada hora em um lugar. Na bucetinha e no cuzinho ouvindo os gemidos de Samanta entrando em seus ouvidos. Aquela energia estava em todo seu corpo. As sensações estavam indo e voltando. Estava a ponto de explodir e o queria. Precisava! Mexeu a buceta contra a língua dela orientando-a. Levando-a para o seu tesouro. Puxando-a e mostrando onde queria ser chupada. Onde iria gozar para ela. Assim, foi o gozo que alcançaram naquele exato instante. Vivian jorrou dentro da boca dela. Estando por cima ele escorreu como se a bucetinha fosse uma torneirinha.
- Aiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii...
- Ohoh... Aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa...
Notas da autora: Meu Deus! Coloca lareira nisto que é pouco. Uma informação para as leitoras. Este capítulo foi todo escrito ao som da música: “Quiero vivir La vida amandote.” Sem um fundo musical a emoção se quebraria completamente.
Vivian subiu deitando ao lado dela. Ambas estavam com as respirações ainda descontroladas. Samanta a olhou e seus olhos estavam mais abertos. Estendeu a mão tocando os cabelos de Vivian.
- Foi incrível. Tão intenso. Nunca gozei três vezes seguidas. A sua língua me enlouquece.
- Que bom ouvir isto. Eu estou aprendendo com você.
- Está bem, mas eu não te dei três orgasmos seguidos.
- Estamos vivendo a nossa primeira noite. Você terá tantas noites Samanta. Tantas meu amor. Poderá me dar o que quiser. Só quero te amar. Quantos orgasmos nós iremos ter, isto não preciso somar para saber.
- Concordo, mas você faz ideia como foi maravilhoso?
- Ah meu amor! Faço sim. Deixe-me te abraçar. Quero sentir seu coração acalmando em meus braços.
Dormiram assim abraçadas. Samanta depois de meses adormeceu sorrindo. Vivian da mesma forma.  
                                 Continua...

Marc Anthony & Ana Gabriel - Quiero vivir la vida amandote (tradução)

sexta-feira, 17 de julho de 2015

Wenn du liebst. - Por Astridy Gurgel

domingo, 12 de julho de 2015

Daniela Romo Quiero amanecer con alguien

sexta-feira, 10 de julho de 2015

Sentimentos Inesperados. - Capítulo 37.


Samanta apareceu no ateliê com uma expressão feliz no dia seguinte. Sandrine foi levar uma xícara de café para ela e sentou comentando.
- Estou gostando de ver. Chegou sorridente e já está desenhando? Que ótimo!
- Verdade. Estou cheia de ideias. Estava tão péssima assim para você sentir logo a diferença?
- Não, não! Você apenas não estava feliz. Isto saltava aos olhos.
- Nem me lembre. Também levei um belo chifre e ainda quase morri, não era mesmo para ter estado feliz. Quer saber? Tudo mudou dentro do meu ser. Depois de ficar próxima da morte não sinto nada como antes. Sinto diferente, acho que de uma forma mais intensa. Talvez isto tenha me feito dar mais valor à vida. As coisas mais simples que não reparava. Estou apaixonada e nem percebi quando comecei a gostar dela. Pode ter sido quando cuidava de mim com todo aquele carinho. Então deixei de ser cega e foi Vivian que me fez voltar a enxergar.
- A sua enfermeira?
- Sim. Ela não é mais a minha enfermeira. É minha namorada. Não preciso mesmo de uma enfermeira. Sinto-me cada dia melhor. Tenho mais vontade de viver e de amar novamente. Não sei explicar essa sensação, só sei que é maravilhosa. Sinto-a aumentando a cada dia. Entende isto?
- Entendo Samanta. Que bom te ver assim. Com essas energias novas. Você merece ser feliz.
- Também você. Todo mundo merece.
O telefone tocou e Sandrine atendeu conversando por alguns instantes.
- Quem era Sandrine?
- Seu advogado. Queria saber se você vai estar na parte da tarde. Precisa que assine alguns documentos.
- Que documentos são estes que tenho que assinar?
- Patrícia está devolvendo os seus bens.
- É mesmo? Que surpresa! Ela não me disse nada.
- Você tem é muita sorte dela ser uma pessoa confiável e honesta. Essa é a verdade.  
- Concordo...
Patrícia entrou naquele momento cumprimentando cheia de sorrisos.
- Oi Samanta! Oi Sandrine! Bom dia!
Notas da autora: Ah, meu Deus! Como é estranho mudar de uma história para a outra. De todo não é ruim, acho até que dá um tempo para as outras personagens centrarem seus sentimentos.
- Bom dia Patrícia! O advogado acabou de ligar. Por que não me contou que o procurou para devolver meus bens?
- Ah, Samanta! Não precisava te contar. Fiz apenas a minha obrigação. Não seria capaz de deixar sua casa sem resolver essa situação. De mais a mais seu advogado é que tinha que entrar em contato com você. Não se preocupe que faço questão de pagar pelo trabalho dele. Afinal fui eu que o procurei.
- Era só o que faltava. Eu...
- Não se fala mais nisto! Fale-me do desfile de semana que vem. Ah, antes disto vocês estão pensando em ir ao baile da igreja? Espero que sim, porque este vai ser um dos melhores.
- Eu adoraria ir. Faz tempos que não danço.
Sandrine respondeu animada.
- E você Samanta?
- Posso até ir, mas não para dançar. Acho que Vivian deve gostar deste tipo de evento.
- Com certeza ela gosta. Não custa falar com ela. Você quer que eu a convide?
- Pode deixar que vou falar com ela hoje.
- Ótimo! Agora sobre o desfile. Você está animada Samanta?
- Estou bastante animada. As roupas que pedi para Patrícia e as outras modelos provarem já seguiu para a linha de produção, Sandrine?
- Sim, seguiram logo após as provas.
- Ótimo! Você vai ficar para o coquetel após o desfile, Patrícia?
- Sim, é claro! Bom, estou liberada por hoje?
- Sim.
- Ok. Vou cuidar das minhas coisas. Até amanhã!
Respondeu saindo.
Samanta sorriu para Sandrine.
- Viu? Ela está apaixonada e feliz. Que bom! Deixe-me desenhar estes modelos aqui. Não vejo a hora do expediente acabar. Estou louca para encontrar com Vivian.  
- Está bem. Bom trabalho.
- Obrigada.
Samanta respondeu concentrada no desenho que estava fazendo.

Para Samanta as horas se arrastaram. Mal acreditou quando bateu na porta de Vivian às oito da noite. Ela abriu dando um lindo sorriso. Inclinou beijando-a em plena boca.
- Que delícia te ver. Entre!
- Digo o mesmo. Estava ansiosa demais para te encontrar.
- Ansiosa? Oh, que adorável e fofa que você é! Eu também estava ansiosa.
Samanta olhou o avental de cozinha que ela estava usando confusa.
- O que está fazendo?
- Ah. Venha comigo para a cozinha. Já preparei o nosso jantar. Agora estou fazendo um bolo de amêndoas. Estou finalizando.
- Está cozinhando? Oh!
- Sim, estou! Gosta de amêndoas?
- Não tanto quanto você, mas gosto sim.
- Melhor, pois quero te agradar.
Vivian parou diante da mesa ligando a batedeira. Apontou a geladeira pedindo.
- Pegue o vinho e abra para nós, por favor.
- Sim.
Samanta concordou pegando o vinho.
- As taças então ali na bancadinha.
Vivian contou mostrando para ela.
Samanta pegou as taças sorrindo. A cozinha era pequena. Ainda assim se sentia feliz por estar ali com Vivian. 
Observou-a terminando de bater o bolo. 
Neste momento ela desligou a batedeira olhando-a.
- Então? Abra o vinho. Estou com sede. Não está também?
- Estou com muita sede. Minha sede é de você Vivian.
Samanta respondeu olhando-a intensamente.
- Ui! Arrepiei todinha.
- Passei o dia louca para te ver.
- Para me ver ou para me ter?
Vivian perguntou sustentando o olhar dela.
- Você sabe a resposta. Os dois. Queria te ver e te ter. Fico perturbada porque sou apressada. Isto de ir devagar, de ficar namorando no sofá, de não poder avançar o sinal é uma tortura. Porém, eu te entendo.
Samanta explicou terminando de abrir a garrafa. Serviu nas duas taças entregando uma para Vivian.
- Saúde!
Samanta falou sorrindo para ela.
- Saúde!
Beberam olhando-se nos olhos. Vivian colocou sua taça sobre a mesa pegando a vasilha com a massa do bolo.
- Enfie seu dedo aqui nesta massa, por favor.
- Enfiar o dedo? Não entendi.
- Enfie seu dedo e me dê para provar.
Vivian respondeu sorrindo.
- Ah, tá.
Samanta enfiou o dedo lambuzando-o na massa. Levou o dedo na boca dela sem entender muito bem porque estava lhe pedindo aquilo.
Vivian passou a língua pelo dedo lentamente. Passou a lamber com uma sensualidade que fez Samanta estremecer inteira.
- Oh! Isto é... Oho...
Vivian segurou a mão dela passando a língua até mais em cima no dedo olhando-a nos olhos.
- Está uma delícia. Já posso assar.
- Assar? Diz isto assim? Foi a mim que você assou inteira.
- Assei? Acho que não ainda.
Vivian respondeu pegando a vasilha. Virou a massa em um tabuleiro levando ao forno. Então voltou a pegar a taça sorrindo para Samanta.
- Venha, vamos sentar na sala para saborear este vinho como deve ser. Com os teus beijos vai ficar mais gostoso. Hoje pensei muito em você.
- Pensou? Também pensei demais inúmeras vezes. As horas não passavam.
- Passavam sim.
Vivian respondeu já na sala sentando ao lado dela.
- Parecia não estarem passando. Senti assim também. Que a noite não chegaria. Que morreria de ansiedade até estar aqui do seu lado.
- Não entendo como este sentimento pode ser tão forte assim Vivian. Você não saiu da minha cabeça em momento algum.
- Isto te incomodou?
- Não incomodou. Deixou-me perdida. Não estava feliz longe de você.
- Que gostoso ouvir isto. Eu não estava completamente feliz longe de você Samanta.
- Sabe, quero tanto te pedir... Uma coisa, mas sei que não devo ser abusiva. Você tem o seu tempo. Pode ser semanas e se for vou ficar tão doida. Vou ter que amarrar as minhas mãos, pois, aí, eu não quero te desagradar. Quero fazer direitinho como você quer que seja, mas... Ah Vivian...
- Quanto rodeio.
Vivian comentou passando a mão pelo rosto dela.
- Peça o que deseja pedir. Se for algo impossível direi não. Se for possível direi sim. Pode pedir.
- Eu... Eu posso?
- Posso o que meu amor?
- É complicado porque você pode levar a mal...
- Psiuuuu... Relaxe e esclareça Samanta.
Vivian pediu segurando a mão dela.
- Ficar.
- Ficar?
- É. Ficar... Passar a noite... Dormir aqui com você.
- Pode.
- Jura? Jura? Jura? Vivian eu mal posso acreditar!
Samanta falou beijando-a em uma explosão de felicidade. Estava toda preparada para ouvir um não e Vivian a surpreendeu completamente. O beijo delicioso a fez esquentar mais. Vivian interrompeu o beijo comentando emocionada.
- Quero demais que fique. Se não pedisse não te deixaria ir. Não pediria, mas te faria ficar.
- Oh! É mesmo? Não sabe como estou feliz.
- Sei sim porque eu também estou muito feliz.  
- Eu estava pensando que teria que ficar nesta de namoro por muito tempo. Se quer saber estava me dando até vontade de chorar. Por que ficar segurando o desejo é um suplício.
- Sei que é. Tem sido meu suplício desde que me dei conta que estava apaixonada por você. Sonhei muito em fazer amor com você. Preciso demais... Fazer... Amor com você. Se esperar mais serei eu que ficarei louca.
- Então, temos mesmo que jantar?
Vivian ergueu-se na hora pegando sua mão.
- Você não vai ter que esperar nem mais um minuto. Vamos para o quarto.
- Ai meu Deus!
Samanta respondeu indo com Vivian para o quarto.
Vivian fechou a porta sorrindo para ela.
- Fique a vontade.
Samanta ficou olhando-a tirar o avental. Vivian apagou a luz do quarto aproximando dela.
- Onde foi parar aquela Samanta apressadinha de ontem?
- Está aqui!
Samanta respondeu jogando-a na cama.
Notas da autora: Meu Deus, que susto! Pensei que Samanta iria chupar a laranja antes de descascá-la.  Só rindo agora. Cheguei a arregalar os olhos de tanta surpresa com essa reação (Risos).  
 Vivian caiu apoiando-se nos cotovelos olhando Samanta deitando sobre ela. Samanta deslizou a língua pelos seus lábios com uma suavidade para lá de gostosa.
- Ah...
O gemido rouco que Vivian deixou escapar a provocou profundamente. Seu corpo estremeceu. A língua continuava deslizando nos lábios despertando completamente o desejo das duas.  
Vivian ergueu os braços enlaçando o pescoço dela. Entreabriu os lábios pedindo loucamente excitada.
- Beije-me. Me faça sua. Assim não aguento...
Notas da autora: Ninguém aguentaria uma coisa destas.
Samanta entreabriu os lábios beijando-a intensamente. Um beijo que Vivian correspondeu sôfrega e louca roçando o corpo contra o dela.
- Estou louca para me entregar para você.
Samanta puxou o corpo dela para cima tirando-lhe o vestido. Enquanto o fazia beijava os braços, os ombros, voltando-a a beijá-la na boca deliciosamente. Suas bocas salivavam tanto quanto suas bucetinhas já escorriam tomadas pela vontade alucinada de serem acariciadas. Vivian também tirou a blusa de Samanta. Abriu o fecho da calça jeans que ela usava puxando-a rapidamente. Tirou o sutiã, a calcinha dela e a própria calcinha procurando seus olhos.
- Deite aqui Samanta.
- Você não está apressada demais não? Nunca fez amor. Só estou tentando ser delicada.
- Está sendo delicada e estou amando. Eu também quero ser delicada. Deite meu amor.
Samanta deitou. Vivian deitou sobre ela roçando a bucetinha na dela. Lambeu os lábios de Samanta. Beijou sua boca por alguns segundos. Deslizou a boca pelo pescoço chupando a pele. Lambeu a pele até chegar aos seios. Beijou e chupou enlouquecida os biquinhos. Ergueu o corpo puxando Samanta até ela sentar a sua frente. Esfregou os seios na boca dela. Estava toda oferecida. Toda solta. Toda ardendo. Louca para dar prazer. Samanta tocou os seios dela acariciando-os por alguns instantes. Depois passou a chupá-los. Ao mesmo tempo desceu as mãos acariciando o corpo dela. Uma das mãos deslizou percorrendo a bucetinha encharcada.
- Ohhh... Aaaa...
Vivian gemeu jogando a cabeça para trás. Enquanto chupava os seios um a um, a mão friccionava o clitóris completamente inchado devido a excitação intensa dela. O corpo de Vivian estava trêmulo. Todos os pêlos do corpo estavam eriçados. Ela era toda desejo e loucura. A ponto de ir, de explodir, de gozar... Os dedos de Samanta deslizavam e voltavam dando uma atenção especial no clitóris. De repente entrou nela deixando-a mais alucinada.
- Ooooooooooo...
- Goze delícia, me molhe toda...
Samanta pediu voltando a tocar o clitóris. Desta vez a beijou chupando sua língua desvairada. Vivian foi vindo entre um frenesi de prazer que nunca tinha sentindo e ...
- Aiiiiii... Aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa...
Ela parou por um segundo olhando Samanta nos olhos. Podiam se ver pela claridade da lua que entrava pela janela. A janela estava aberta e uma leve brisa entrava sem ser convidada.
- Isto foi maravilhoso.
Vivian confessou descendo a mão até o meio das pernas dela. Deslizou os dedos sussurrando rouca.
- Oh... Que fofinha mais gostosa.
- Ah... Ai Vivian...
- Meu amor? A sua bucetinha é uma delícia de tocar, de sentir...
- É? A sua, ai, nem te conto...
- Conta. Conta no meu ouvido.
- Conto... Ai...
Vivian levou o ouvido até a boca dela para ouvir.
- Sua bucetinha é divina. Quero meter a língua nela. Chupar muito. Chupar até você pedir para parar.
- Ahhh... Delícia...
- Delícia vai ser minha língua dentro dela.
Vivian deslizou o dedo para dentro dela passando a entrar e sair.
- Sonhei tanto em te comer assim.
- Oho... Oooo... Ai...
- Está gostoso?
- Demais... Aha...
Vivian a beijou chupando sua língua. Subiu o dedo até o clitóris passando a brincar nele. Só que agora com rapidez. O dedo parecia voar sobre ele.
- Ooooooooooooooooooooooooooooooooo...
Samanta tombou caindo sobre a cama. Vivian ficou olhando-a encantada. Retirou a mão levando a boca. Chupou o dedo sentindo o gosto com prazer.
- Ai que coisa boa!
Falou deitando ao lado dela.
- O seu gosto é muito bom.
- Gostou? Vou te dar para se fartar.
- Vai?
Vivian perguntou sorrindo e confessando:
- Quero junto. Nunca fiz mesmo. Minha primeira vez quero assim.
- Um 69? Ótima ideia. Só me dê uns dois minutos.
Samanta respondeu puxando-a para cima do seu corpo.
- Antes me beije Vivian. Você é maravilhosa. Venha.
Vivian a beijou louca como no início. Chuparam suas línguas perdendo-se naquele beijo intenso. Até Vivian afastar-se deitando ao lado dela. Puxou-a para cima do seu corpo. Roçou a bucetinha contra a dela sorrindo maliciosa.
- Sou sua Samanta.
- É? E eu sou sua Vivian.
- Quanto esperei para ouvir isto.
- Te quero tanto.
- Ah, também te quero.
Samanta desceu a boca chegando aos seios. Beijou e chupou por um tempo. Virou o corpo oferecendo a bucetinha a ela. Ao mesmo tempo deslizou a língua na dela. Assim, chuparam-se loucas de desejo. Suas línguas tinham ritmos diferentes. Enquanto a de Vivian subia a de Samanta descia. Surtia o mesmo efeito já que paravam nos clitóris lambendo-os sofregamente. Assim ficaram fazendo até explodirem juntas em um gozo maravilhoso.
- Ai... Ahaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa...
- Oooooooooooooooooooooooooooooooooo...
Samanta voltou deitando ao lado dela. Olhou-a com um sorriso safado nos lábios.
- Delícia de mulher...
Vivian a beijou misturando o gosto dos seus gozos. Então deitou a cabeça no travesseiro sorrindo também.
- Está bem, admito. Você também é uma delícia. Seu gosto, ai, é bom demais!
- O seu nem tenho palavras.
        - Isto é um bom sinal. Se nós gostamos dos nossos gostos começamos bem.
- Muito bem.
Samanta concordou puxando para seus braços.
- Posso confessar uma coisa?
Vivian perguntou aconchegada no pescoço dela.
- Claro que pode.
- Vou querer de novo. Vou querer quantas vezes você quiser.
- Eu também quero mais. Quantas aguentarmos.
- Ai estou feliz demais! Como esperei para viver este momento. Mas, agora não quero mais perder tempo com conversas. Quero você!
Vivian beijou-a deitando novamente sobre ela. Voltaram a se amar completamente apaixonadas.  
                               Continua...

sábado, 4 de julho de 2015

Se Que Volveras. - Por Astridy Gurgel

Senhora do Mar. - Vânia Fernandes. - Por Astridy Gurgel.

quarta-feira, 1 de julho de 2015

Paula Fernandes - Seio De Minas

terça-feira, 23 de junho de 2015

Segundo vídeo excluído do You Tube.

video

"Com relação à sua conta: Astridy Gurgel
A Comunidade do YouTube sinalizou um de seus vídeos como inadequados. Quando um vídeo é sinalizado, ele é revisado pela Equipe do YouTube com base nas Diretrizes da comunidade. Mediante análise, determinamos que o vídeo a seguir têm conteúdo que viola essas diretrizes e foram desativados:
"Duas Mulheres Apaixonadas! - Por Astridy Gurgel" 
O YouTube não é o sítio indicado para nudez, pornografia ou outro conteúdo sexualmente provocante. O YouTube abre exceções limitadas para contextos educacionais, documentais, artísticos e científicos apropriados, mas apenas em circunstâncias limitadas em que o objetivo da publicação é claro e a nudez existente não tem cariz sexual.
Para obter mais informações sobre as Diretrizes da comunidade do YouTube e saber como elas são aplicadas, acesse a Central de Ajuda.
Observação: excluir este vídeo não cancelará o aviso em sua conta. Para mais informações sobre como contestar um aviso, acesse esta página na Central de Ajuda.
Atenciosamente,
Equipe do YouTube."

Vídeo com 247.256 visualizações.
Gostei 451
Não gostei 97

“A perseguição começa quando você constrói em pouco tempo, o que o invejoso demorou a vida toda para tentar construir.”

segunda-feira, 22 de junho de 2015

Vídeo excluído do YouTube.

video

Relembrando e atualizando essa postagem.
É incrível como ver mulheres fazendo amor incomodou gente amarga, mal amada e frustrada em 2013. Essas mulheres não deveriam assistir os vídeos que faço. São moralistas, invejosas, recalcadas, dissimuladas e sonsas. Reza em cima desta gente ainda é pouco. Crendeuspai.
Informo para as que gostam de assistir os vídeos que costumo fazer, que hoje o YouTube excluiu este vídeo “Prazer” que fiz, pois ele viola as diretrizes daquele canal. O vídeo foi postado lá em 23 de Dezembro de 2012. Tinha 1500 visualizações e conseguiu chocar os funcionários do YouTube que o excluíram somente hoje. Porque hoje encontraram tempo para ver este vídeo. O título deve ter chamado a atenção deles, sei! Certamente eles não tiveram tempo de assistir este vídeo antes. Hoje, como por milagre encontraram tempo (Risos).
Se fotos de mulheres beijando e se acariciando são pesadas para eles, pois só despertaram a minha preguiça diante de tanta hipocrisia. Segundo eles, os funcionários do YouTube foram treinados exaustivamente para fazer este trabalho de analisar os vídeos. Muito curioso isto! Com milhões de vídeos que são postados no mundo inteiro pegam um vídeo meu do nada e excluem. Essa desculpa não engulo nem com CHAMPANHE!
Fico pensando na quantidade de vídeos que existem por lá com sexo pesado e que a equipe altamente treinada não conseguiu ver até hoje. 
“A inveja vê sempre tudo com lentes de aumento que transformam pequenas coisas em grandiosas, anões em gigantes, indícios em certezas.”
Miguel de Cervantes