sábado, 4 de julho de 2015

Se Que Volveras. - Por Astridy Gurgel

Senhora do Mar. - Vânia Fernandes. - Por Astridy Gurgel.

quarta-feira, 1 de julho de 2015

Paula Fernandes - Seio De Minas

terça-feira, 23 de junho de 2015

Segundo vídeo excluído do You Tube.

video

"Com relação à sua conta: Astridy Gurgel
A Comunidade do YouTube sinalizou um de seus vídeos como inadequados. Quando um vídeo é sinalizado, ele é revisado pela Equipe do YouTube com base nas Diretrizes da comunidade. Mediante análise, determinamos que o vídeo a seguir têm conteúdo que viola essas diretrizes e foram desativados:
"Duas Mulheres Apaixonadas! - Por Astridy Gurgel" 
O YouTube não é o sítio indicado para nudez, pornografia ou outro conteúdo sexualmente provocante. O YouTube abre exceções limitadas para contextos educacionais, documentais, artísticos e científicos apropriados, mas apenas em circunstâncias limitadas em que o objetivo da publicação é claro e a nudez existente não tem cariz sexual.
Para obter mais informações sobre as Diretrizes da comunidade do YouTube e saber como elas são aplicadas, acesse a Central de Ajuda.
Observação: excluir este vídeo não cancelará o aviso em sua conta. Para mais informações sobre como contestar um aviso, acesse esta página na Central de Ajuda.
Atenciosamente,
Equipe do YouTube."

Vídeo com 247.256 visualizações.
Gostei 451
Não gostei 97

“A perseguição começa quando você constrói em pouco tempo, o que o invejoso demorou a vida toda para tentar construir.”

segunda-feira, 22 de junho de 2015

Vídeo excluído do YouTube.

video

Relembrando e atualizando essa postagem.
É incrível como ver mulheres fazendo amor incomodou gente amarga, mal amada e frustrada em 2013. Essas mulheres não deveriam assistir os vídeos que faço. São moralistas, invejosas, recalcadas, dissimuladas e sonsas. Reza em cima desta gente ainda é pouco. Crendeuspai.
Informo para as que gostam de assistir os vídeos que costumo fazer, que hoje o YouTube excluiu este vídeo “Prazer” que fiz, pois ele viola as diretrizes daquele canal. O vídeo foi postado lá em 23 de Dezembro de 2012. Tinha 1500 visualizações e conseguiu chocar os funcionários do YouTube que o excluíram somente hoje. Porque hoje encontraram tempo para ver este vídeo. O título deve ter chamado a atenção deles, sei! Certamente eles não tiveram tempo de assistir este vídeo antes. Hoje, como por milagre encontraram tempo (Risos).
Se fotos de mulheres beijando e se acariciando são pesadas para eles, pois só despertaram a minha preguiça diante de tanta hipocrisia. Segundo eles, os funcionários do YouTube foram treinados exaustivamente para fazer este trabalho de analisar os vídeos. Muito curioso isto! Com milhões de vídeos que são postados no mundo inteiro pegam um vídeo meu do nada e excluem. Essa desculpa não engulo nem com CHAMPANHE!
Fico pensando na quantidade de vídeos que existem por lá com sexo pesado e que a equipe altamente treinada não conseguiu ver até hoje. 
“A inveja vê sempre tudo com lentes de aumento que transformam pequenas coisas em grandiosas, anões em gigantes, indícios em certezas.”
Miguel de Cervantes

sábado, 20 de junho de 2015

Senhora do Mar - Video Promocional Oficial

sexta-feira, 19 de junho de 2015

Sentimentos Inesperados. - Capítulo 36.


Samanta confessou olhando-a completamente excitada.
- Por que parou Vivian? Estava tão bom.
- Você não faz ideia como me contive para não tocar nos seus seios quando te dava banhos.
- Pode tocar neles agora como bem quiser.
Samanta respondeu pegando a taça de vinho. Diante dos olhos de Vivian, derramou o conteúdo nos dois seios olhando-a com uma expressão provocante.
- Venha beber. É tudo seu.
Os olhos de Vivian estavam fixos no vinho que escorria pelos seios. Não resistiu. Aquele convite era demais para recusar. Os seios encharcados de vinho encheram-lhe a boca de água. Inclinou na hora passando a língua em um dos biquinhos. Bebeu o vinho sugando o mamilo suavemente.
Para sua surpresa Samanta segurou seu rosto falando enquanto se erguia.
- Espere.
- Aonde você vai?
Vivian perguntou sem entender porque ela levantou de repente.
- Sente-se ai no sofá Vivian.
Vivian sentou puxando-a para cima do seu corpo de uma vez. Estava seca nela. Samanta sentou sobre suas pernas visivelmente excitada. Vivian beijou-a na boca enlouquecida de desejo. Estava queimando inteira. A língua dançava dentro da boca de Samanta numa sensualidade que a própria desconhecia que possuía.
Sentada sobre seu colo, sentiu Samanta rebolando em cima de suas pernas. Tentava encaixar o sexo entre uma de suas pernas. O movimento sensual dos quadris de Samanta a excitou mais. Mergulhou a boca em um dos seios chupando o biquinho faminta de prazer. Estava assim, com hambre de placer, tanto aquela necessidade a consumia, que a boca ia a cada hora em um dos seios, lambendo, chupando, consumindo o vinho sobre a pele. Imaginou que deslizava a língua dentro da bucetinha dela. Que aspirava por um instante lambendo o clitóris seguidamente. Imaginou-se o chupando, engolindo e soltando, passando a língua em toda a sua região. Descendo e subindo a língua cada vez mais rápida. Enfiando-a na entrada da grutinha ardendo para possuí-la suave e mais forte. Ouvindo ao mesmo tempo os gemidos loucos de Samanta que realmente estava ouvindo. Samanta esfregava a bucetinha na perna dela rebolando desorientada. Estava louca a ponto de gozar.
- Oh... Ah... Estou queimando Vivian... Oh...
A boca continuou chupando os seios mesmo quando Samanta explodiu gozando em cima dela.
- Ah... Aiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii... Oooooo...
Samanta gemeu tombando a cabeça sobre seu ombro. Vivian a abraçou acariciando seus cabelos.
- Hum, relaxe.
Vivian sussurrou beijando seu rosto.
- Ai Vivian! Você me deixa completamente alucinada.
- Devia apreciar. Não acha?
- Sim, mas pode ser perfeito. Basta você querer.
Vivian afastou-a com delicadeza erguendo-se. Sorriu sentando no sofá diante dela cruzando as pernas. Estava toda trêmula. Tentava se acalmar e a visão dos seios de Samanta ainda nus a perturbava profundamente.
- Está tudo bem Vivian?
Samanta perguntou percebendo que ela passou a olhar as próprias mãos quieta e silenciosa.
- Você se afastou de repente. Foi por causa do que falei? Eu...
- Não. Não foi nada.
Vivian respondeu erguendo os olhos para ela.
- Vista sua camisa, por favor.
Pediu suspirando.
- Sim, claro!
Samanta pegou a camisa vestindo logo. Olhou para Vivian notando que ela a olhava fixamente. Apertou as pernas, o que chamou atenção de Vivian. Ela deu um meio sorriso sem falar.
- Não é fácil.
- O que não é fácil?
Vivian perguntou sabendo exatamente a resposta.
- Ter que freiar assim. Controlar... Sabe?
- Não sei não Samanta.
- Vivian? Você é tão ingênua assim?
Samanta perguntou passando a mão no cabelo sem saber como explicar sem ofendê-la.
- Não sou ingênua.
- Não? Se você não cede. Você não entende que...
- Eu entendo muito mais do que você imagina.
- Ah Vivian! Nem sei até onde posso ir. Não sabia que namorar era tão difícil.
- Não se lamente.
Vivian pediu sorrindo para ela. Samanta estava visivelmente frustrada.
- Como não? Estou excitada demais Vivian! Isto é uma tortura. Você não sabe por que nunca fez sexo.
- Eu sei. Toco meu corpo quando fico assim. Para acalmar. Aquietar um pouco a vontade.
- Você se masturba? Ah, eu sabia que sim!
Samanta comentou dando um sorriso quase de alívio.
- Será que alguém não o faz? Certamente pessoas muito introvertidas, talvez de educação severa não se permitam. O corpo tem fomes. Desejos. É natural e instintivo. É possível soltar ou prender.
- Perguntei e você não respondeu.
- Naquele momento a sua pergunta foi atrevida, fora de hora e estranha.
- Talvez tenha sido ofensiva. Não é?
- Você pensa demais.
- Poxa Vivian, você é um pouquinho difícil. Eu vou ter que aprender a conviver desta forma. Foi apenas uma pergunta.
- Foi, porém, extremamente íntima.
- Está bem, concordo! Agora já estamos tendo intimidades. Somos namoradas. Podemos conversar sem que eu te ofenda. 
Os olhos de Vivian enfiaram-se nos de Samanta deixando-a praticamente derretida. Porque os olhos dela despiam-na. Devoravam seus lábios fixamente.
- Não seja bobinha. Você não me ofendeu. Apenas me excitou profundamente.
Confessou erguendo-se na hora.
Samanta engoliu em seco. Nem lhe ocorreu que a tivesse excitado. Pensou que ela tivesse se magoado. Ficou olhando-a ir até o aparelho de som no canto da sala.
Escolheu um CD colocando para tocar. A música "Quiero Amanecer Con Alguien", invadiu o ambiente. 
Vivian voltou acercando-se dela com um sorriso devastadoramente sensual. Estendeu a mão convidando.
- Dance comigo. Dê-me este prazer.
Samanta levantou sorrindo cativada.
- Claro que danço. Que linda essa canção!
- Ouça a letra. Sempre escuto pensando em você.
Samanta enlaçou a cintura dela animada. Vivian começou a dançar com uma sensualidade inesperada. Samanta amou admirando-a enquanto tentava acompanhar seus passos.
- Onde aprendeu a dançar assim?
Perguntou surpresa.
- Fiz aulas de dança. A dança é uma ótima maneira de movimentar todo o copo. É melhor do que fazer academia.
- Estou percebendo.
- Não fique tímida. Solte seu corpo.
Samanta tentou acompanhar o ritmo, acabando mais por dançar do seu jeito. Apreciava Vivian. A forma como mexia o corpo. Como era leve e solta. Ela sorriu enquanto dançou sensualmente até colar o corpo no de Samanta.
- É delicioso dançar assim juntinho a você.
Vivian confessou roçando a boca contra a orelha dela.
Samanta perguntou neste momento:
- Acredita que existam outras vidas?
- Às vezes, por quê?
- Você deve ter sido torturadora em uma delas.
- Não é tortura, é prazer. Relaxe que você vai sentir como é intenso.
- Vivian?
- Oi?
Os lábios de Vivian deslizaram ligeiramente pelo rosto de Samanta até encontrar sua boca. Beijou-a impedindo que continuasse falando. Com a língua passou a fazer carícias suaves nos lábios por alguns instantes alternando para outras mais ousadas. Para em seguida beijá-la de maneira mais íntima e profunda. Um beijo quente, com gosto de paixão, de desejo e loucura. Uma sedução que deixou Samanta aturdida tamanho o ardor que dominava seu corpo. Seus braços envolveram a cintura de Vivian.
Agarrada a ela, beijando-a ainda, Vivian ainda a enlouquecia com a língua devastadoramente provocante. Enfiou a perna entre as suas coxas, roçando seu sexo sem se conter.
- Quer me matar Vivian?
Samanta perguntou sentindo a coxa firme roçando-a atrevidamente.
- Não fale! Sinta meu querer...
Vivian pediu devorando a língua completamente faminta. A perna roçava a bucetinha cada vez mais desejosa.
- Oh... Ah...
Samanta estava gemendo entre os beijos sem o menor controle com o prazer que estava sentindo. Vivian a dominava prendendo seu corpo com as mãos segurando firme sua cintura. A boca consumia a dela chupando a língua cada vez mais gulosa. A perna roçava mais enlouquecida contra bucetinha.
Notas da autora: Nossa, tem um trem pegando fogo dentro destas duas. Controlar Vivian, ah, como é difícil. Escenas cono esta son una invitación al placer.
- Vivian... Oh... Ah...
A boca de Vivian chegou a orelha dela mordiscando e lambendo a carne. Respirava ofegante quando sussurrou.
- Ah... Desejo-te. Consegue sentir agora? Sente meu corpo falando ao teu?
- Sim... Estou excitada demais... Oh...
- Amo-te. Amo-te muito. Agora deixe vir. Goze deliciosamente para mim.
Talvez dois minutos tenha levado enquanto Vivian respirava excitadíssima contra a orelha dela. Sentiu assim o corpo começando a estremecer junto ao seu, enquanto sua perna ainda roçava a bucetinha deliciosamente.
- Oh... Ahaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa...
Vivian continuou abraçada a ela sentindo a perna que a esteve excitando encharcando. Sentiu um prazer íntimo, delicioso por tê-la feito gozar novamente.
Em um desespero que não conseguiu reprimir, Samanta ainda tentando controlar a respiração do prazer que tinha acabado de sentir, buscou os olhos de Vivian pedindo perturbada.
- Por favor, vamos para sua cama! Preciso sentir você. Te tocar... Vamos fazer amor? Se entregue a mim minha querida.
Um sorriso desarmado brilhou nos lábios de Vivian, que sem responder colou novamente seus corpos. Sua boca roçou na dela daquela forma sensual que ela gostava de fazer. Deslizou a língua pelo lábio por alguns momentos, para em seguida beijá-la prolongadamente. Momentos depois roçou seu rosto no de Samanta. Suas respirações estavam entrecortadas. Suas faces se acariciavam enquanto recuperavam a respiração lentamente.
Vivian segurou o rosto dela devorando seus olhos. Seu corpo estava trêmulo. Sentia e sabia que estava a ponto de explodir.
- Amei a dança. Amei nossa noite. Amei tudo. É tarde e você precisa ir.
- Tarde? Não é tarde! Não para mim. Acha que vou conseguir dormir neste estado?
- Você sentiu prazer. Não seja assim meu amor.
- Não, não, Vivian! Quero você! Precisamos fazer. Não entende? Faz-me falta te tocar.
- Eu sei.
Afastou-se dela indo até o sofá. Pegou a bolsa voltando. Segurou a mão de Samanta caminhando com ela até a porta.
- Ah Vivian. Como assim?
- Está parecendo uma criança que não ganhou um presente.
Vivian comentou beijando-a profundamente. Em seguida abriu a porta olhando-a carinhosamente.
- Boa noite! Adorei cada momento.
- Espere! Quando vou te ver? Amanhã?
- Sim. É claro! Estarei te esperando.
- Não posso mesmo ficar?
- Não. Agora vá.
Pediu acariciando o rosto dela.
- Durma bem Samanta.
- Tá bom. Boa noite Vivian! Durma bem também.
Samanta respondeu apoquentada saindo de uma vez.


    Carmem entrou em casa ao lado de Patrícia deixando o casaco e a bolsa sobre a cadeira da sala.
- Que noite maravilhosa! Amei o nosso jantar de comemoração da sua vinda para cá. Ah! E que delícia de presente do dia das namoradas. Você mudar para cá, hum! Estou tão feliz amor.
- Mais que eu? Não via a hora de vir ficar de vez com você ainda mais que Samanta e Vivian estão no maior clima. Não queria atrapalhar as duas.
- Você não falou que Vivian voltou para casa dela?
- Voltou, mas elas jantaram juntas hoje. É notória a paixão que Vivian sente. Já Samanta eu a conheço bem. Eu a vi dando umas boas olhadas no corpo de Vivian quando ela não estava vendo. A maneira como ela sorria quando conversou mais cedo comigo. Está caidinha. Vivian é a mulher certa para Samanta. Não é uma modelo. Samanta não terá porque sentir tantos ciúmes. Vamos subir amor?
Convidou enlaçando a cintura de Carmem. Subiram abraçadas.
Trocaram de roupas deitando juntas. Patrícia puxou Carmem para seus braços beijando-a quando seu celular começou a tocar.
Afastou de Carmem pegando o celular percebendo que era uma ligação de Samanta.
- É Samanta! Talvez tenha acontecido alguma coisa. Só um instante, amor! Alô? Samanta? Aconteceu alguma coisa?
- Oi Patrícia! Não. Somos amigas, por isto estou ligando. Preciso desabafar. Estou te incomodando?
- Não. Tudo bem. Pode falar.
- Pedi Vivian em namoro. Só que namoro é muito complicado. Não pode fazer quase nada. Não sei como vai ser isto. Estou feito uma bomba!
- Uma bomba! Céus! Samanta? O que é isto? Namorar é tão gostoso.
- É para quem faz amor! Beijos também matam! Vivian pelo jeito não sabe disto.
- Se acalme. Não faça este drama. Ela está te conhecendo. Vivian não está fazendo isto para te deixar assim.
- Não? Agora é que não sei. Ela viu como eu estava quando me mandou embora.
- Ela devia estar da mesma forma.
- Só que ela parece saber se controlar muito bem. Eu morro com isto.
Lamentou dramaticamente.
- Vivian já sabe qual é o seu signo?
Patrícia perguntou segurando a vontade de rir.
- Por quê? Faz alguma diferença?
Samanta perguntou admirando-se.
- Só para saber.
- Não deve saber não. Isto não importa. Não entendo porque as mulheres têm que ser tão complicadas.
- É você que está complicando. Vai namorar neste desespero? Nem bem começou. Não pode ficar assim. Então fale com ela.
- Já falei! Ela é muito decidida. Não consegui convencê-la. Estou por demais sufocada.
- Samanta vá tomar um banho para acalmar.
- Acalmar com banho? Não. Nem pensar. Vou ligar para ela. É isto que vou fazer! Se eu estou assim de certo não é por minha culpa.
- Acho muito sensato você ligar para Vivian. Ligue, mas ligue calma. Boa noite!
- Obrigada! Boa noite e desculpe ter ligado tão tarde assim.
- Tudo bem. Procure se cuidar.
- Você também. Obrigada! Tchau!
- Tchau!
Patrícia desligou voltando-se para Carmem com um sorriso.
- Samanta, você sabe! Começou a namorar com Vivian e está louca para fazer amor.
- Vivian não quer? Ela é tão nova com os hormônios a flor da pele.
Carmem perguntou acariciando o rosto dela.
- Quer sim amor. Vivian é romântica. Ela quer conquistar Samanta. O que em minha opinião é mais gostoso. Ir direto para a cama não rola. Tem que seduzir um pouco mesmo.
- Então? Também acho. Que bom que Samanta ligou para desabafar com você. Ela te perdoou e ficaram amigas. Fico tão aliviada com isto.
- Nem me fale. Vem aqui que estou com fome dos seus besos.
- Hum, que delícia.
Carmem envolveu-a pela cintura correspondendo ao beso apaixonado. Deitaram abraçadas trocando besos cada vez mais quentes.


Vivian ouviu o telefone voltando-se para atender.
- Alô?
- Oi Vivian.
- Samanta...
Vivian pronunciou o nome dela com uma sensualidade que a fez estremecer do outro lado.
- Você é uma surpresa a cada momento. Essa sua sensualidade, o som da sua voz, como pôde esconder esse seu jeito de mim?
- Acha que escondi?
A voz de Vivian era a mesma. Neste momento ela estava deitada apenas falando a meia voz num tom extremamente doce.
- É só uma maneira de falar.
- Você já deitou?
- Não. Estou aqui sentada na sala.
- Não devia estar na sala. Trabalhou e teve um dia agitado. Precisa descansar. Vá para o quarto e deite-se. Não pode ser inconsequente. Você ainda está em recuperação. Não deve abusar deste modo.
- Eu sei, eu... Se eu subir vai desligar?
- Claro que não. Estou deitada. A cama está bem quentinha. Estoy relaxando.
Samanta ergueu-se de uma vez falando irrequieta.
- Vou subir. Só preciso tirar essa roupa e falo com você. Não desligue! Por favor, não desligue!
- Não vou desligar e não precisa correr. Espero por você.
Vivian ficou quieta esperando pacientemente. Olhou para o relógio distraída. Esperou por cinco minutos até ouvir a voz de Samanta novamente.
- Voltei! Demorei?
- Não.
- Você já estava cochilando?
- Não. Estava pensando em você.
- Ah. É mesmo?
- Sim. Amei nossos momentos.
- E eu, amei tanto. Cheguei e estava tão agitada que liguei para Patrícia.
- Ligou para Patrícia agora? Por quê? Não estou entendendo.
- Liguei para conversar. Desabafar.
- Desabafar sobre nós?
- Sobre mim.
- Não precisa omitir. Você falou sobre nós. Que coisa mais estranha. Ela é a sua ex namorada. Nem tenho certeza se você já a esqueceu.
- Tem razão, falei sobre nós. Sobre estarmos apenas namorando.
- Não acredito!
Vivian comentou admirada.
- Acha que ainda gosto de Patrícia como antes? Eu estou apaixonada por você. É você que eu quero por isto te pedi para namorar. Quero muito você na minha vida! Sou apenas amiga de Patrícia. Sei o quanto lutei para perdoá-la. Todo mundo tem ex Vivian.
- Eu sei. Patrícia quer te ver bem. É uma grande amiga que você tem.
- Sim.
-
- Conte-me, você fez sozinha?
- Samanta. Sossegue.
- Sossegar? Fale isto para este desejo que está me consumindo.
- Por isto precisou ligar para Patrícia para falar do seu desejo? Se o seu desejo é por mim não precisava contar para ela. Vai contar para mais alguém?
- Nem pensar. Se não gostou peço desculpas.
- Não precisa pedir desculpas. Fiz apenas um comentário e uma pergunta.
- Tá. Podemos fazer pelo telefone?
- Acho péssimo imaginar que nós nem bem começamos a namorar e você vai me achar chata e difícil, sabia?
- Chata você não é, mas difícil, poxa. Você é difícil sim.
- Por que não transei com você?
- Claro!
- Que engraçado! Não penso assim. Você é que está sendo difícil. Está dificultando para si mesma. Porque estamos namorando e as coisas estão acontecendo naturalmente. Não podemos nos conhecer? Namorar? Fazer coisas gostosas juntas? Tem que ser nesta correria? É tipo ou transa ou nada? Não percebe que está a ponto de me pressionar?
- Eu sou mulher! Não sou mais uma miúda. Tenho desejos, está tudo alagado aqui no meu corpo! Estou subindo pelas paredes. É com você que eu tenho que falar sobre este meu estado grave, pode ter certeza! Como vou ficar neste estado? Quer que eu exploda? Que suba pelas paredes?
- Também sou mulher! Oh! Eu já sabia que você era muito dramática. Nem sei por que estou estranhando seu pequeno ataque.
- Ah Vivian!
Samanta suspirou calando-se.
Vivian suspirou imaginando se iriam ter a primeira briga no primeiro dia de namoro. Mordeu os lábios por um segundo. Estava complicado. Samanta não era uma miúda, muitos menos ela. Amava-a desesperadamente, mas tinha medo de se entregar com aquela rapidez. Os encontros eram tão passageiros entre as pessoas. Bastava transarem para fartarem-se umas das outras. Não estava nada interessada em aumentar aquela fila. Era virgem e aquilo, muito embora nunca tenha lhe pesado, naquele momento pesava toneladas. Poderia não satisfazer Samanta com sua total inexperiência. Aquele medo era terrível. Medo de não conseguir ser mujer suficiente para ela. Ao menos a mujer que Samanta estava imaginando que era.
- Vivian?
- Oi.
- Não faça caso do que falei. Quero tudo, de menos te deixar chateada. Está triste comigo?
- Não estou não meu amor.
- Este meu amor, ai, deixa-me mais ardente. Está silenciosa. Em que está pensando?
- Em você.
        - Quer me contar seus pensamentos?
- Ah. Não é nada demais.
- Um ou dois. Só quero entender o que você tanto pensa.
      - Estava pensando como desejo das que amas. Percebo a sua extrema carência. Gostaria muito que você não ficasse tão desorientada e insatisfeita.
     - Quero ter você. Vamos fazer pelo telefone? Agora? Faz comigo, faz? Estou tão molhada, ardendo, louca para deslizar a mão entre suas pernas.
- Tire a calcinha e o sutiã.
- Você vai tirar também?
- Eu durmo nua.
- Oh... Vou tirar!
Vivian desceu a mão para o seio. Acariciou-o mordendo os lábios.
- Pronto tirei.
- Toque seu corpo. Toque seus seios. Pense que é minha mão que está tocando neles.
- Ai... Sim...
- Os biquinhos estão durinhos?
- Estão, ah...
- Brinque com os dedos neles.
- Aiii... Tão bom.
- Melhor é a minha língua neles. Chupando, lambendo, mordiscando cada hora um.
- Ah...
- Solte-se. Deixe seus gemidos fluírem.
- Estou deixando. Você está se tocando?
- Estou. Meus dedos estão acariciando minha bucetinha suavemente. Toque-se agora. Deslize os dedos. Brinque com ela.
- Ah... Delícia...
- Feche os olhos. Pense na música que ouviu dançando comigo. Só sinta seu toque. Imagine que é a minha língua deslizando deliciosamente entre suas pernas.
        - Oooo... Você é boa nisto... Ah...
       - Estou te chupando. Deslizando a língua na sua bucetinha inteira. Lambendo seu clitóris. Rebola na minha língua... Venha mais rápido... Ah... Oh...
- Aiiiiii... Ah... Oh...
- Goze comigo meu amor...
Explodiram juntas neste momento.
- Aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa...
- Ooooooooooooooooooooooooooooo...
Ambas ficaram quietas recobrando a recuperação. Foi Samanta quem falou primeiro.
- Você já fez assim com alguém?
- Por que será que eu tinha certeza que você iria perguntar isto?
- Você não me faria essa mesma pergunta?
- Eu? Não meu amor. Não faria não.
Vivian respondeu tranquila. O tom da voz dela era tão carinhoso, que Samanta sorriu comentando.
- A sua voz é linda. A cada dia descubro algo interessantíssimo em você. A sua maneira calma de ser. Seu jeito de olhar, dançar, sorrir, flertar comigo, me pegar, seus beijos, seu controle, seus suspiros, seus gemidos, seu carinho e seu amor. Estou ficando louca por você. Realmente eu te sinto mais a cada dia.
- Tão lindas essas suas palavras. Ah! Por você sou louca há tanto tempo Samanta. Estar em sua vida tem sido a minha maior felicidade. Poder te conhecer mais a cada dia. Poder te sentir, sua presença, teu cheiro, o gosto dos seus beijos. Vivo tão enamorada e muito, muito feliz. Necessito tanto de ti. Já ando a fantasiar momentos consigo. Coisas para fazer. Para te ver sorrir. Para ver o brilho lindo que seus olhos têm quando está feliz. Quando fica excitada deixas-me queimando. Fico ansiosa para agradá-la. Gosto e desejo-a mais, a ponto de esquecer meus pensamentos. O que lhe falar, falar para te agradar e acalmar teu desejo. Pois, eu te confesso que nunca namorei, mas sempre imaginei como seria. O que sei aprendi nos livros, na televisão, nos casos que minhas colegas contam dos seus namoros. E é claro que criei as minhas próprias fantasias. Será que alguma mulher não tem fantasia? Não sonha? Não sente desejos fora de hora? Não se desespera querendo um beijo, um abraço, carícias mais íntimas? Isto é tão bom. Amo a intimidade que estou descobrindo com você. O que falei agora a pouco nunca fiz com ninguém. Apenas imaginei muitas vezes que o fazia com você.
- Descobri que adoro te ouvir. Vou me calar mais para que você possa me falar o que sente.
- Não seja bobinha.
Vivian falou sorrindo. Puxou o lençol cobrindo o corpo. Sentia-se bem.
- Estou falando sério.
- Diga-me. Conseguiu relaxar um pouco?
- Sim, foi uma delícia. Mas amanhã vou te ver porque gosto de estar com você.
- Sei que você vem me ver. Até te convidei. Agora vamos dormir. Estou mais tranquila porque você vai dormir bem. Precisamos descansar.
- Está bem. Boa noite minha querida.
- Boa noite meu amor. Durma bem. Descanse! Beijo!
- Você também. Beijo!
Notas da autora: Toda personagem doce e suave me encanta. Vivian é assim. Sinto essa paz que ela emana e ao mesmo tempo o vulcão que tenta conter. E Samanta, ela está se redescobrindo.


Celeste entrou em casa às sete da manhã. Na sala viu o sofá manchado de vinho. Viu a garrafa e as taças dando um sorriso. Foi para o quarto tomar um banho. Depois foi para a cozinhar para preparar o café da amanhã. 
Estava sentada tomando o café quando Vivian entrou esfregando os olhos.
- Bom dia, mamãe! Correu tudo bem no trabalho?
- Bom dia Filha! Correu sim. Foi uma noite mais calma. Fiz torradas. Pegue aí no forno querida, por favor! Você dormiu bem?
- Pego sim. Dormi bem demais. Desmaiei.
Vivian pegou as torradas e uma xícara. Sentou diante da mãe servindo o café. Bebeu um pouco adorando. Estava fantástico.
A fumaça subia da xícara a sua frente. Seus olhos ficaram parados na fumaça. Estava pensando em Samanta. Em tudo que viveu com ela. Nos beijos, na voz dela, nos olhos, na conversa ao telefone antes de dormirem.
- Não tem novidades para me contar filha?
Celeste perguntou chamando-a de volta a realidade. 
- Oi mãe?
Vivian perguntou distraída.
- Perguntei se não tem novidades para me contar sobre ontem.
- Ah, foi bom.
- Bom? Só bom? Samanta gostou da lasanha?
- Ela amou! Apreciou por demais.
- Não tinha dúvida que ela fosse adorar a sua lasanha.
- É. Adorou sim.
- Ela ficou aqui até tarde?
- Não muito.
- Entendo.
- Ela me pediu para namorar.
- Ah, bom! Até que enfim! Fez o certo.
Vivian sorriu vendo a animação da mãe.
- Fiquei feliz demais. Quero dizer, ela deixou-me muito feliz com o pedido.
- E?
- Então, é isto!
- Acertaram o ponteiro do relógio?
Vivian corou na hora. Celeste sorriu. Adorava aquele lado tímido dela.
- Perguntei por que o sofá está manchado de vinho. Pelo jeito que você deixou as taças na sala, pensei que...
- Eu vou limpar o sofá mamãe. Estava louca para deitar. Não sou mesmo de deixar bagunça pela casa.
- Eu sei. Você estava desnorteada! Eu imagino. Já percebi que a caldeira não explodiu.
- Mamãe! A senhora fala de uma forma que fico completamente sem graça. Nem sei o que responder.
- Vivian? Pelo amor de Deus! Sou sua mãe e sua amiga. Por acaso te condeno? Se você aguenta viver essa pressão é com você. Só me pergunto se Samanta vai aguentar.
- Tenho certeza que nem eu aguentarei mãe.
- Do que você tem medo filha?
- Ah mãe, ela é tão experiente! O que sei eu destas coisas de sexo? Se ela não gostar comigo, se ela me achar fraquinha, nem sei mais. Ela vive cercada daquele mulherio todo...
- O quê? Vivian? Isto é uma bobagem! Não dá para ser racional assim o tempo todo. Além do mais, na cama você não precisa ter experiência, só tem que se garantir.
- Tenho certeza que me garanto e que não vou passar em branco na hora certa. Porque eu a amo tanto e tanto a desejo que sei que a deixarei louca na intimidade. Eu acho que posso ser ótima, porém o meu ótimo pode ser um nada para ela.
- Não tem nada disto! Se ela quisesse alguma daquelas modelos estaria atrás delas. É você que ela quer. Vou te falar uma coisa. Pode estar certa que você a está seduzindo cada dia mais. Você a tem nas mãos. Ela não vai olhar para nenhuma mulher. O desejo dela é seu. Você ainda não tem noção disto?
- Depois de ontem passei a ter.
- Vou te falar uma coisa, vocês lésbicas são bem sortudas. Conhecem muito bem as mulheres e isto é um trunfo. Difícil é para nós heterossexuais. Porque conhecer um homem é quase um milagre. Eu que o diga. Fui muito feliz com o seu pai, mas foi difícil conhecê-lo profundamente. Nem sei se cheguei a conhecer de verdade. Ainda assim eu me garanti. Na hora do bem bão não tinha para nenhuma outra. Ele adorava cama comigo. Eu o deixava completamente satisfeito.
O rosto de Vivian pegou fogo. Abaixou a cabeça sem jeito. Celeste começou a rir comentando divertida.
- Este seu lado tímido é muito lindo. Não faça nada que não queira. E quando fizer, faça de uma forma que ela não se esqueça de você nunca mais. Seja marcante.
- A senhora é muito bacana comigo. Não quero que Samanta pense que sou uma boba insegurança porque não sou. Tenho estes medos que são normais. Eu sei o quanto a amo e quero amá-la muito. Não me importa quem ela já amou. Importa-me que ela me ame. Que eu seja a alegria dela quando for dormir e quando acordar. Na verdade, acredito que estou sendo marcante. Mesmo da minha maneira meio tímida, às vezes mais contida, mas ela já está percebendo que serei tudo, de menos uma aventura passageira. Consegui mexer no relógio direitinho para não deixá-lo tão atrasado.
Vivian riu neste momento e Celeste piscou para ela entendo suas últimas palavras.
- Essa é a minha menina! “Quem sai aos seus, não degenera.” Deixe-a de rastros babando por você. Não tenha pena que isto não mata. Prazer não tira pedaço.
- Pode deixar que cuidarei do desejo dela. Como do meu, porque confesso que estou desesperada para deixá-la maluca na cama. A minha vontade está me deixando alucinada. Vivo subindo pelas paredes.
- Você não faz nem ideia do quanto é sexy. Isto conta muitos pontos ao seu favor. Vou te dar uma dica. Modere com o álcool, sabe como é; para ter mais vigor e apetite. Se beber um pouquinho vai ficar no ponto. Se passar da conta não vai valer para nada. Cuide um pouco mais da sua alimentação. Vou comprar coisinhas que vão te fortalecer. Confie em mim! Ela vai se arrepender de não ter te conhecido antes.
- Tem certeza? Estou muito bem. Acredito que dou conta do recado. Do jeito que ando, tenho é pena dela quando cair na cama comigo.
- Não tenho dúvidas disto, mas você vai me agradecer depois. Agora vou dormir um pouco.
- Está bem mamãe! Bom descanso! Vou tomar um banho e ajeitar a casa.
- Não se desgaste muito. Guarde sua energia. Você vai precisar.
Celeste aconselhou piscando e deixando a cozinha. Vivian serviu mais uma xícara de café  voltando a pensar em Samanta.
                                  Continua...